Textos

Sentido proibido

map_gall_inglas_sorn

Ultimamente, sinto que o GPS começa a sofrer de amnésia. Há ruas que esqueceu, entroncamentos que já não reconhece, estradas que jura nunca ali terem existido. De início, tolerava-o, afagava-lhe os botões, compreensivo, e, não me custa admiti-lo, com o desprezo intolerante de quem se julga perante uma falta pontual. Mas vai agora crescendo em mim a certeza, e o temor, de que maleita mais gravosa se vai estendendo aos circuitos da máquina, e que esta um dia, ao se lhe perguntar o caminho para a Baixa, se contente em devolver, inocentemente por certo, um singelo “Mas quem sou eu?”

Hei-de responder-lhe, já o sei, triste mas fatalmente, com um acabrunhado “Mas onde é que eu estou…?”, tamborilando nervosamente com os dados no volante.

Hugo Picado de Almeida

Anúncios
Standard

Escrever um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s