Pensamentos

Escrever: Perspectivas

Sempre me custou compreender — e perdoem-me os meus leitores assíduos (esses dois ou três), que já me terão ouvido queixar sobre o assunto vezes sobejas — os escritores que dizem que escrever lhes dói terrivelmente.

Desde segunda-feira numa nova rotina, e circulando entre o trabalho e a minha tese, uma das coisas que me dói é o não escrever, a falta de tempo para escrever. Felizmente que a tese e o trabalho me encarregam sobretudo de escrever, e em doses confortáveis, mas não é a mesma coisa.

 

Hugo Picado de Almeida

Anúncios
Standard

3 thoughts on “Escrever: Perspectivas

  1. João Paulo Machado diz:

    O acto de escrever, quer por uma necessidade quotidiana profissional quer movida por um impulso artistico é, e sempre será, um acto de tecelagem de palavras imbuídas de um propósito, quer profissional (mensagem técnica) quer como artístico num plano estritamente emotivo. A quantidade do tempo disponível para o seu exercício/execução determina – ou não – a qualidade final dessa tecelagem. A dor existe (em diferenciados estágios) e resulta sempre desse tempo ausente ou, por vezes excessivo, tendencialmente inibidor e castrante do acto.

Escrever um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s