Desporto, Pensamentos

Ténis, desporto, censura

Adoro ténis, mas não sei se o ténis deva ser considerado um verdadeiro desporto. Claro que envolve grandes atletas a enfrentar desafios físicos e mentais duríssimos, mas, ainda assim, fico de pé atrás.

Desconfio de um desporto onde não se pode entrar nem sair do estádio porque isso distrai os atletas. Desconfio de um desporto onde não é bem visto celebrar os erros do adversário do jogador que apoiamos. Desconfio de um desporto onde não se pode fazer barulho durante uma jogada. Desconfio de um desporto em que seja mal visto descarregar a frustração amolgando uma raquete contra o chão.

Um desporto só deve ter as regras que protejam a integridade física dos seus intervenientes (e espectadores), e deve promover o respeito pelas próprias regras que o definem. Conter a paixão, punir a exteriorização das emoções, calar os aplausos ou vaias do público? Isso não é já desporto.

Não deixar as pessoas expressarem as suas emoções ou defenderem aquilo em que acreditam é perífrase para a censura. Depois o ténis admira-se que o conotem com as elites snobes e endinheiradas da direita política, assim como essa direita se admira muitas vezes que a história recente de Portugal a conote com a censura.

 

Hugo Picado de Almeida

Anúncios
Standard

3 thoughts on “Ténis, desporto, censura

  1. Tudo isso estraga o ténis, a meu ver. Tens toda a razão. Os melhores jogos de ténis são os amadores, em que se alguém fica frustrado não tem outro remédio senão praguejar. E os amigos dele até se podem por a gozar com ele 😛

    Mas na verdade, consigo compreender o porquê dessas regras. O Ténis, ao contrário de muitos outros desportos, é um jogo de extrema concentração. O mais pequeno erro pode custar-te um campeonato, até. Especialmente nos serviços. E é humano uma pessoa sentir “Se aquele palhaço não se estivesse a rir enquanto eu servia, teria acertado!!” ou “Se aquele camião não tivesse buzinado, não teria mandado a bola pra fora!” ou etc etc… e depois reclama sobre essas coisas.

    É provavelmente para evitar frustrações assim que essas regras de calmaria (porque são, efectivamente, regras para manter o silêncio e a calma) são implementadas. Assim, se alguém falhar, não tem mais ninguém a quem culpar a não ser a si próprio.
    Que, vistas bem as coisas, até é pior, não achas? *shrug*

    • Parece-me que tudo isso são desculpas de mau perdedor. É como um jogador de futebol falhar uma grande penalidade por estarem quarente ou cinquenta mil pessoas num estádio a assobiá-lo. Pode ser que não ajude, mas os atletas de alta competição têm que saber – e sabem – lidar com isso É isso que acontece em quase todos os desportos, e os tenistas não são menos atletas do que os outros. Ter um estádio calado ou um estádio em ebulição é igual: as condições são as mesmas para todos os jogadores.
      Pressão? Verdadeira pressão é um Sapador a desactivar uma mina que lhe pode rebentar nas mãos mergulhado no maior silêncio.

      Obrigado por comentares.

      Hugo Picado de Almeida

Escrever um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s