Livros, Política, Terrorismo

O mundo do outro lado do espelho

A Visão noticia hoje que um comandante talibã, Mohammad Ashan, se apresentou numa esquadra de polícia com um cartaz que, como tantos espalhados pela região, anunciava uma recompensa de 100 dólares para quem o entregasse às autoridades. O terrorista, analfabeto, terá julgado que era procurado para que lhe pagassem a tal quantia e entregou-se assim à polícia afegã, que, incrédula, o prendeu de imediato.

Ocorreu-me, por isso, que Lewis Carrol pudesse ter razão no segundo volume das aventuras da pequena Alice, e que do outro lado do espelho pode haver mesmo um mundo que funciona ao contrário. Um mundo onde para chegar ao norte se deve caminhar para sul, um lugar onde as palavras se escrevem ao contrário e, por que não, um mundo onde os terroristas se entregam às autoridades, ou onde os governos defendem interesses privados, quando não estrangeiros… Esperem, quanto a esta última parte, essa é do lado de cá do espelho. Erro meu.

 

Hugo Picado de Almeida

Anúncios
Standard

3 thoughts on “O mundo do outro lado do espelho

Escrever um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s