Crise, Política

Violência policial

Quando a polícia se torna inimiga do povo que jurou proteger, esse é o primeiro sinal de que a nossa sociedade democrática já deixou de o ser. O segundo revela-se quando o povo deixa de acreditar na sua polícia para o proteger.

Daí, não vai senão um passo até que o Governo comece a arranjar meios para justificar a violência, ou que se torne proibido falar de certos assuntos.

É claro que uma sociedade democrática também exige um povo à altura – já vimos como a democracia facilmente se torna em inapelável vacuidade se os seu povo deixa de se importar com ela, ou de batalhar por ela (ou de batalhar sem ser por ela).

É preciso, no entanto, que a polícia também faça parte desse povo, e que saiba o que é a democracia. Claro que isso significa que a polícia saiba dialogar com o seu povo, porque a democracia não sobrevive sem comunicação, e é isso que termina mesmo antes de começar quando se atiram ovos à polícia ou quando a polícia carrega indevidamente sobre manifestantes.

A democracia precisa de respeito, consciência, e diálogo. E basta um cassetete para terminar com tudo isso.

 

Hugo Picado de Almeida

Anúncios
Standard

Escrever um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s