Crise, Política

O direito e o avesso

Cartoon de El Roto, no El País, 13 de Março de 2012

Está na moda citar a célebre frase de J.F. Kennedy: «Não perguntes o que o teu país pode fazer por ti, mas sim o que tu podes fazer pelo teu país.»

Não é que eu pense que devamos ficar sentados no colo do país, esticando os braços para a mama que poderá até já estar vazia, mas a questão aqui é outra. A questão é que, se ainda não declarámos a morte do Estado Social, então devemos perguntar, sim, o que é que o Estado pode fazer por nós. Mais, devemos perguntar ao nosso país, que nos soube colocar nesta posição e que não se consegue fazer ouvir na Europa, o que pode hoje fazer por nós. Não tenhamos dúvidas de que a crise não se vai resolver por nada que cada um de nós possa fazer.

Mas eu percebo quem cita Kennedy: se eu tivesse responsabilidades no país, se calhar também cometia o erro de as pôr nos portugueses, em vez de perceber que parte do problema era eu.

O que o Estado Social quer será, talvez, que a Sociedade seja Estatal. Convenhamos: dá-lhe assim bem menos trabalho.

 

Hugo Picado de Almeida

Anúncios
Standard

Escrever um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s